Artigos Para Empresas

Como que o plano de saúde pode caber no orçamento da sua empresa?

corte-gastos
Escrito por DNA Saúde

Pesquisa elaborada pela empresa de seleção e recrutamento Catho, constatou que a assistência médica e participação nos lucros são os benefícios mais valorizados pelos brasileiros.

A pesquisa apontou que para 74,6% dos brasileiros, o plano de saúde é o benefício mais importante em uma oferta de emprego.

Neste contexto, um bom plano de saúde se apresenta como uma ótima ferramenta de retenção de mão de obra, conforme já abordamos no post  COMO TORNAR UMA PROPOSTA DE TRABALHO IRRESISTÍVEL?

Por outro lado, muitos empresários sentem receio de contratar um plano de saúde e aumentarem seus custos fixos.

Mas é preciso ter em mente que ao oferecer este benefício a empresa está investindo no que tem de melhor: seus funcionários.

Para ajudar no entendimento sobre como como o plano de saúde pode caber no orçamento da sua empresa, listamos a seguir algumas dicas para redução do custo deste benefício:

  • COPARTICIPAÇÃO

Coparticipação é um modelo de plano de saúde, onde o custo por alguns procedimentos é dividido com o usuário.

Com isto, a mensalidade ganha um desconto.

É preciso analisar qual o plano de coparticação a operadora está oferencendo, mas o mais comum é o modelo em que o beneficiário recebe uma cobrança de 10% nos valores das consultas, exames e pronto socorro utilizado.

  • CONTRIBUIÇÃO

Quanto devo descontar do funcionário? Devo pagar 100% do plano de saúde? E os dependentes?

Avaliar a política de descontos do plano de saúde é muito importante. O primeiro passo é conferir o que diz a convenção coletiva da categoria profissional da sua empresa. Algumas convenções coletivas determinam a obrigatoriedade na contratação de plano de saúde. Se for o seu caso é preciso saber se esta convenção autoriza o desconto do colaborador.

Caso não haja nenhuma restrição, uma boa alternativa para oferecer o benefício sem onerarar demais a empresa é adotar o modelo contributário, repassando um percentual do custo do plano ao colaborador.

Em geral, não existe uma regra. Cada empresa tem que avaliar qual política de benefícios deseja implementar.

Mas é muito importante definir com cautela a política de RH com relação ao modelo de contribuição no plano de saúde.

É comum a empresa oferecer o plano de saúde custeando 80% do funcionário e não custear os dependentes, ficando a critério do colaborador incluir ou não sua família, arcando com o seu custo.

  • ESCOLHA DA OPERADORA

Escolher entre uma seguradora ou medicina de grupo regional pode ser fundamental para a redução de custo.

As medicinas de grupo se caracterizam por possuírem rede de hospitais e laboratórios próprios, conseguindo por esta razão praticar custos mais baixos.

As seguradoras, por sua vez, costumam agregar mais valor ao benefício ofertado, mas muitas vezes, são mais caras.

  • ACOMODAÇÃO: Apto ou Enfermaria?

A diferença nos custos do mesmo plano, mas com acomodação em enfermaria, reduz em média 10% e 15%.

Com isto, muitas empresas oferecem o benefício com acomodação enfermaria, deixando ao colaborador a possibilidade de escolher a modalidade internação apartamento pagando a diferença.

  • REDE CREDENCIADA

A regra é básica: quanto maior e de melhor reputação forem os hospitais e laboratórios, maior será o custo do o plano.

Aqui, o ideal é envolver todos os colaboradores para entender quais são as suas necessidades para não adquirir um plano que seja desnecessário, como por exemplo, um plano nacional a um funcionário que não viaja.

Quer saber mais sobre Planos de Saúde para Pequenas e Médias Empresas? Baixe agora o e-Book – Manual dos Planos de Saúde para PME´s –

Sobre o autor

DNA Saúde

Deixar comentário.

Share This
Navegação